MADEIRA DE SAMBA

Triplochiton scleroxylon
PT madeira de samba
Proveniência

madeira de samba obtém-se da árvore tropical Triplochiton scleroxylon, originária do oeste e centro de África, e com uma altura que oscila entre os 30 e os 65 metros. Dependendo do país, a madeira recebe um ou outro nome: abachi e obeche na Nigéria, wawa no Gana, ayous nos Camarões e samba en Costa de Marfil.

 

Cor

A cor da madeira de samba varia entre o branco e o amarelo-pálido em todo o corte transversal, de modo que o borne apenas se distingue do cerne.

 

Textura

madeira de samba é uma madeira macia e embora o seu manuseamento seja fácil, a pregagem é débil. Recomenda-se utilizar tapa poros antes do acabamento final, devido ao seu grão de tamanho médio-grosso, e a fibra é geralmente reta.

 

Durabilidade

madeira de samba apresenta muito pouca retenção às temperaturas, o que a torna praticamente imune ao apodrecimento ou ao desgaste devido ao clima. Porém, é necessário tratá-la quimicamente porque é muito vulnerável ao ataque de caruncho.

 

Características

O nome comercial mais utilizado para denominar a madeira de samba é obeche, que atualmente é uma espécie muito explorada e em risco de esgotar as suas plantações. O seu material é valorizado, sobretudo pela ausência de farpas e resinas na sua composição, e manipula-se muito facilmente porque a probabilidade de deformação é mínima. É fácil de ser manipulada de forma mecanizada e apesar de a colagem não apresentar problemas, a pregagem é débil.

 

Utilizações

madeira de samba tem um uso mais especializado na construção das partes interiores das saunas, principalmente as que podem ter contacto com a pele. Utiliza-se em interiores para a construção de molduras, frisos, móveis leves, painéis de partículas, fibras e laminados. Além disso, a madeira de samba é um bom material para molduras com qualidade de pinturas a óleo, desenhos e aguarelas.