MADEIRA DE TÍLIA

Tilia platyphyllos
madera de tilo - madeira de tília

MADEIRA DE TÍLIA

Proveniência

Existem diversas espécies da árvore da madeira de tília, mas a tília comum, ou Tilia platyphyllos, é uma espécie de árvore muito habitual nas florestas da Europa, especialmente nas zonas do centro e do sul, estendendo-se até zonas do oeste da Ásia. Em Espanha, encontramos algumas espécies na cordilheira cantábrica, nos Pirinéus e estende-se até à serrania de Cuenca, com algumas espécies na Catalunha conhecidas na zona como “tell”.

 

Cor

A madeira de tília tem um tom claro, branco-amarelado, que pode transformar-se em castanho, quando fica seca. À semelhança da madeira de amieiro, o seu borne também não se diferencia do cerne e os anéis do tronco são pouco marcados.

 

Textura

A madeira de tília tem uma fibra reta e um grão extraordinariamente fino.

 

Durabilidade

Quando falamos de madeira de tília, falamos de uma madeira de durabilidade média, mas face aos fungos a durabilidade é muito pouca. Por outro lado, a sensibilidade é escassa perante o ataque de larvas e de térmitas.

 

Características

É uma madeira macia, o que lhe permite ser esculpida muito facilmente, e a sua cor clara favorece o tratamento e a pigmentação com cera, vernizes, tintas, etc. A secagem é rápida, embora possa apresentar deformações. Ainda assim, o acabamento costuma ser excelente. A madeira de tília é muito apreciada sobretudo pelos artesãos de escultura, já que é fácil e agradável de ser trabalhada. No entanto, é precisamente também por isso que é utilizada por principiantes: permite a pregagem e o aparafusamento sem problemas, bem como a colagem.

 

Utilizações

madeira de tília utiliza-se há muitos séculos pelas suas grandes propriedades de homogeneidade em relação à sua utilidade. Os seus usos mais habituais são a elaboração de talhes e esculturas, além do fabrico de móveis em marcenaria, estojos, objetos de adorno, corrimões ou formas de sapatos.