MADEIRA DE TULIPEIRA

Spathodea campanulata
PT madeira de tulipeira
Proveniência

túlipa africana tem como nome científico Spathodea campanulata e pertence à família das Bignoniaceae. É uma espécie de árvore proveniente da África ocidental, mas atualmente existe no sudeste da América do Norte e na América Central e do Sul, especialmente em Porto Rico (meaíto), República Dominicana (amapola), Santo Domingo (caoba) e Venezuela (gallito).

 

Cor

A madeira de tulipeira tem uma cor amarela, um tom esbranquiçado no borne e um tom mais verde-azeitona ou castanho-esverdeado no cerne. Contém muita seiva, que pode manchar os dedos ou a roupa.

 

Textura

madeira de tulipeira é uma madeira dura e esbelta, com fibra reta e um grão de tamanho fino. Os raios lenhosos são visíveis no corte transversal, bem como os anéis de crescimento, que são delimitados por uma linha esbranquiçada. A madeira de tulipeira tem uma superfície lisa de textura muito suave, que até faz com que as aves façam os seus ninhos com ela. Contém poros grandes e uma fibra reta.

 

Durabilidade

Se tratada com um verniz adequado, a madeira de tulipeira é estável na sua tonalidade natural a longo prazo. Cresce em regiões de temperaturas de muito contraste e por isso suporta muito bem a humidade e o clima seco.

 

Características

Apesar de ser uma madeira dura, a madeira de tulipeira tem uma serragem, secagem, colagem e pregagem fácil e simples. No entanto, o aplainamento apresenta mais problemas. O borne e sobretudo o cerne são impregnáveis, e ao ser cortada liberta um odor a aveia.

 

Utilizações

A madeira de tulipeira destaca-se quando utilizada para móveis finos de interior, frisos, molduras, rodapés, folheados e painéis contraplacados, recipientes, embalagens ou brinquedos. Noutros países, tritura-se, inclusive, e utiliza-se como cama para cavalos, para fazer pranchas de surf, papel ou para esculpir.