MADEIRA DE PINHO INSIGNIS

Pinus radiata
PT madeira de pinho insignis
Proveniência

O pinho insignis, conhecido também como pinho radiata ou pinho de Monterrey, é uma espécie de árvore originária da costa da Califórnia, embora também possa ser encontrada, atualmente, no sudoeste da Europa, no sudoeste da Austrália, Chile, Brasil e África do Sul, sendo a Nova Zelândia e o Chile as zonas onde existem maiores plantações. Em Espanha, também existem espécies no País Basco, que ocupam 55% da superfície florestal da vertente Cantábrica.

 

Cor

O borne da madeira de pinho insignis é branco-amarelado, que escurece ao entrar em contacto com a luz. O cerne é pardo.

 

Textura

A madeira de pinho insignis tem fibra reta e o grão é geralmente fino. Os anéis são visíveis e têm uma grande espessura.

 

Durabilidade

A madeira de pinho insignis está qualificada como pouco duradoura face aos fungos e é bastante sensível, principalmente às térmitas. Além disso, é uma espécie que prefere climas temperados e quentes, não suporta temperaturas baixas nem secas prolongadas, apesar de se alimentar muito da humidade.

 

Características

O cerne da madeira de pinho insignis não é impregnável, enquanto o borne pode variar. A pregagem e o aparafusamento realizam-se sem dificuldade na madeira de pinho insignis e a sua serragem também é fácil. Antes de se aplicar os produtos de acabamento, recomenda-se realizar um tratamento prévio com tapa poros. As tintas, as pinturas e os vernizes aderem bem à sua textura e é uma madeira tão rentável e funcional que chegou a denominar-se “ouro verde” durante a sua época de esplendor, na década de 1950.

 

Utilizações

As utilizações da madeira de pinho insignis são variadas. Por exemplo, utiliza-se para fabricar pasta de papel e painéis de partículas. Além disso, é adequada para contraplacados e ripas de madeira, carpintaria interior, revestimentos e móveis.