MADEIRA DE PINHO SUÉCIA

Pinus sylvestris
Proveniência

O pinho Suécia, também conhecido como pinho Flandres ou pinho silvestre é semelhante à espécie vermelha da Rússia, sendo aquela proveniente da Suécia e da Finlândia, que por conseguinte são os maiores fornecedores deste tipo de madeira em Espanha. Na Península Ibérica dispomos de algumas espécies invasoras na Serra Nevada, na Serra de Baza, na Serra de Gredos e na Serra de Guadarrama, e ainda na Cordilheira Cantábrica.

 

Cor

A casca é cinzenta-esverdeada, o borne é amarelo-pálido e o cerne é rosa ou avermelhado. Os anéis são muito marcados, com uma espessura entre 1,5 a 3 mm.

 

Textura

A casca tem uma textura grossa com fissuras que lhe conferem uma forma irregular e arrugada. Normalmente, apresenta poucos nós nas espécies mais maduras e possui fibras retas, além de um grão fino ou medianamente grosso.

 

Durabilidade

A madeira de pinho Suécia não tolera bem a contaminação. No entanto, tem uma grande resistência às temperaturas muito frias e húmidas.

 

Características

O pinho Suécia pode medir até 30 metros de altura e o seu tronco tem uns 5 metros de circunferência. Adapta-se a todo o tipo de solos e climas, exceto a solos alagados. O seu manuseamento não costuma apresentar problemas, embora a facilidade dependa do tamanho e número de nós existentes na peça e da quantidade de resina que contenha, que também condicionará o acabamento com tintas ou vernizes. A madeira seca rapidamente ao ar livre, mas tem tendência a ficar azulada. A solução poderá ser a aplicação de um verniz antiazulamento.

 

Utilizações

A madeira de pinho Suécia é utilizada sobretudo para a construção de estruturas e carpintaria fina, tanto interior como exterior, bem como em postes, cercas, pavimentos, rodapés, cofragens ou embalagens. Os melhores mastros marítimos também são feitos com este tipo de madeira e a sua lenha é a mais apreciada dentro da família das Pináceas.